Virtual Challenge eSports

O protagonista é VC

Baterias emocionantes em Charlotte deixam Arthur Leist e boa condição na LiveSports GT3

Na penúltima etapa da Livesports GT3, o campeonato de GT3 mais empolgante e disputado do país, os melhores pilotos reais e do AV se digladiaram no Roval de Charlotte. Esta pista, que é a sede da grande maioria das equipes da NASCAR, entrou no hall de circuitos de Endurance por causa da pandemia, pois recebeu uma etapa de 100 minutos da IMSA ano passado, na tentativa de encher o calendário, esvaziado por causa da pandemia. Melhor para os fãs da GT3, que puderam ver os carros se pegando neste circuito que é bastante técnico e um tanto travado, apesar de comportar boa parte do oval de 1,5 milha. Essa junção de trechos de alta e baixa no mesmo traçado se tornava garantia de grandes corridas, o que aconteceu de fato.

A 1ª bateria é a mais longa, com uma corrida de 35 minutos, onde o pit stop é obrigatório. A configuração de pits era semelhante ao traçado técnico de Snetterton, permitindo aos pilotos rodarem algo em torno de 28 minutos de combustível. Inúmeros pegas, em diversas partes do grid, encheram de emoção a prova, que teve la na frente, uma disputa forte entre os companheiros Bruno do Carmo e Arthur Leist. Essa disputa durou ate os pits, quando Bruno acabou errando a freada e foi punido por velocidade do pit lane. Dado que a distancia dos dois para o restante do grid beirava os 8 segundos, Arthur teve apenas de administrar a vantagem para vencer na primeira bateria. Ele foi seguido dos companheiros Jackson Resende e Pedro de Oliveira, completando o pódio. Arthur declarou que “Acho que o Bruno iria me passar no pit, pois ele deveria estar economizando atrás de mim, se não tivesse errado. Tava dando tudo que podia para abrir distancia e defender a posição. Entrar na liderança é importante na ultima etapa, mas não vale nada se não treinar, tem que treinar bastante. Na segunda prova, salvei um sétimo com o carro todo torto.”

A 2ª bateria, de 25 minutos, não exige pit obrigatório e acaba sendo uma corrida Sprint. Por ter sido sem a necessidade de splash and go, foi uma corrida insana, talvez a mais incrível que já vi na vida. Confusões na largada fizeram o líder disparar na frente e gente boa que vinha de tras ter a chance de andar bem na frente. Foram os casos de Neto Nascimento, largando de 19º e Bruno do Carmo, de 12º. Depois de inúmeras batidas, rodadas e trocas de posição, a vitória ficou com Bruno do Carmo, que protagonizou uma disputa roda a roda com Raphael di Leo Lima, com erros e excelentes defesas de ambos os lados, indo ate a ultima curva. O pódio foi completado por Neto Nascimento, fazendo outra corrida de recuperação no campeonato. Bruno comentou “Corrida 1 foi bem frustrante, com aquela entrada errada no pit e isso tornou minhas chances de titulo pequenas. Arthur é o favorito, com certeza. Na segunda, deu para se aproveitar do rebuliço no meio do grid e a disputa om o Raphael foi muito legal, é muito legal disputar com quem é limpo. Quase que escapa a vitória, com uma erradinha e ele defendeu muito bem. Se estou no lugar dele, eu defrenderia com a vida a posição. Quem mandou eu errar?”, brincou.

O campeonato tem Arthur Leist líder e em posição privilegiada no campeonato, com 183 pontos. Raphael di Leo se aproveitou dos problemas dos outros concorrentes e assumiu a vice liderança com 153 pontos, seguido de Neto Nascimento com 106. A próxima etapa será a ultima, no dia 8 de setembro, na Ilha de Notre Dame, em Montreal. Ou, se preferirem, circuito Gilles Villeneuve. Uma pista excelente para a etapa final, onde a ultrapassagem é farta, o acelerador no fundo é o tempo todo e tudo pode acontecer nessa final incrível. Já estou ansioso e espero que todos acompanhem com a gente a final desse campeonato, que está sendo incrível de ver e comentar.