Ex-jogador do Flamengo vence a Indy Bandsports Iowa 300

Uma situação bem rara para uma corrida em oval – mesmo se tratando de um circuito mais curto. José Pinho marcou a pole e liderou as 300 voltas da Indy Bandsports Iowa 300, coroando com a vitória uma atuação dominante o piloto radicado nos Estados Unidos.

Sinal de que foi fácil? Muito pelo contrário. Foram 300 voltas sendo muito pressionado, sobretudo no fim, com Victor del Porto tentando de todos os jeitos a vitória. No ímpeto pela vitória, deu uma brecha para Romar Arns, que assumiu a segunda posição e quase venceu – a diferença para o vencedor foi de somente 0s032.

Aproveitando a entrevista pós-vitória, Pinho contou um pouco sobre sua história, que começou nos gramados. Ele é um ex-jogador de futebol, com passagens por Internacional, Flamengo, Botafogo, Seleção Brasileira de Base e teve Marcelinho, Djalminha e Zico como ex-companheiros.

“Eu comecei no Inter, fui ao Flamengo, estive no Grupo que ganhou a Copinha 91, e fui da Seleção Brasileira nas categorias de base. O que me prejudicou um pouco foi a estatura, então fui ao Botafogo, joguei no time do Zinho e no time do Zico. Tive uma contusão no joelho e passei a ser treinador de goleiros. Eu iria para a Coreia, bati com o carro e não assinei o contrato. Veja como a vida é. Me viram e fui para os Estados Unidos. Sai do Brasil com dificuldade, com 150 dólares no bolso e hoje sou fundador do maior clube de futebol, masculino e feminino, do estado da Geórgia”, disse o vencedor, com a voz embargada.

“Não gosto de jogar nada de videogame, não gosto de jogar futebol eletrônico, meu negócio é o AV. Gosto de acelerar de jogar e estou muito feliz pela vitória. Treinei muito qualy – foram 26 vezes em sequência – para sair na frente, pois isso seria chave para vencer”, completou.

Romar Arns não escondeu a satisfação pela segunda posição. Conhecido como um dos principais pilotos de Nascar do Brasil, o piloto da Escuderia Sul-Brasil não escondeu a felicidade por um ótimo resultado andando com os carros da Fórmula Indy.

“Acostumado com carros da Nascar, tive muita dificuldade com esse IR-18. Era muito difícil acompanhar os ponteiros no final. Me vali que de um retardatário ali, consegui uma segunda posição. Pena não ter sido o primeiro, mas um foi resultado que não esperava. Uma pista muito complicada e com poucas amarelas, mostra o nível alto que foi a corrida”, afirmou.

Multicampeão de Fórmula Indy, Victor del Porto foi vítima da dificuldade de ultrapassar na pista de Iowa. “Acho que foi a primeira vez que corremos de Indy virtual as 300 voltas em Iowa. Geralmente são 170, 180 voltas e, muitas vezes, terminamos no excesso de tempo. Mas apesar de hoje ter sido uma prova muito limpa, o terceiro lugar foi um ótimo resultado, mas estou frustrado, pois só consegui passar um carro na pista, que foi o Bruno Vasconcelos. As duas vezes que o Romar me passou, com méritos, foi quando eu estava brigando com o carro da frente e fiquei mais lento”, revelou.

Allan Moreira, que andou entre os três primeiros em quase toda a corrida, terminou em quarto após um pit complicado na última bandeira amarela. Ele chegou à frente de Pedro Gomes, que fui Rafael Trindade e Danilo Coelho duelarem a corrida inteira e finalizarem na sexta e sétima posições. Deco Guimarães foi o oitavo, à frente de Silvio Roberto Sanchez e Marcelo Fernandes fechou o top 10.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *